abradançar | Diário de bordo, Vale do Capão/BA - 11.03.21 - 20:06

Atualizado: Mar 12


Fade Into You - Mazzy Star


vontade de ser possuída por você. Sabe, como naqueles filmes que alguém bate na porta da pessoa que gosta e vai passando para dentro. Olho no olho. Respiração quente e afoita da surpresa. A pele começa a ser tomada por choques elétricos, misto de não sei o que fazer com sei sim. te beijo. e vamos parar no chão da sala.


eu gosto de ver entrando, entre as folhas da pitangueira lá do quintal, o sol pela janela atrás de nós e se alongando todo pela esteira onde você se deita, formando manchas ao estilo de Rorschach no rosto e caindo a tarde pelos cachos que não usam shampoo. De onde vem então esse cheiro leve e tropeço de ar cítrico que eu sinto toda vez que me aproximo de sua nuca? você me pega pela boca e deitamos os olhos para nos encontrar em um próximo nível. subimos. meu anjo mal sussurra dizendo que não vai dar pé. sigo - Outro dia mesmo eu mergulhava em um amor até perder de vista a beira e quase me afogar. E continuo viva.

É isso que você me ensina. É nesse lugar que eu desejo ser possuída. O de deixar as palavras serem bagunçadas, putas, trajadas com penduricalho, balangandãs e mix de estampas. Quando não estiverem nuas brincando entre os lenços e almofadas.


Eu tenho uma casa de estrutura forte mas feita de forma muito intuitiva, o que me torna muito intuitiva mas com dificuldades extremas para a organização. E quando você bate aqui na porta, choques elétricos me distraem. Eu tinha outros planos para o meu dia mas sua chegada me bagunça em tantos níveis. E me faz lembrar daquele que alcançamos juntos depois que a gente se encaixa.


Meu anjo mal se assusta e sussurra de novo cartas de censuras em meu ouvido. E eu me lembro da conversa com a minha terapeuta sobre me envolver com a vida e não racionaliza-la. Às vezes acho que a entendi mas em outras fico me questionando "o que será que ela quis dizer com isso?". Essa semana ela me disse para deixar o meu inconsciente falar comigo. É através dele que vou construir uma estrutura mais equilibrada para minha casa. O ego observa a realidade e toda vez que tento defini-la estou me relacionando com ela de forma racional. A realidade precisa ser sentida. As coisas fazem sentir. O que eu quero sentir? Quais são as sensações que eu desejo viver? Quando foi que o frio na barriga de descer a montanha russa passou a me impedir de ir até ela ao invés de suplicar por mim?


O frio na barriga é como a entrega para sentir em minhas vísceras você entrando aqui em casa e eu querendo te abradançar com todas as paredes. Me recolher num abraço imenso com o suspenso e retorcer as bases que formam a vista das minhas janelas. O estado louco. Fantástico. Ser possuída pelo indefinido. Onde existo? Não importa. Eu preciso voltar a sentir. Já começo a sentir lembrando.


O que são as palavras para mim.


7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
  • Facebook Telúrica
  • Instagram Telúrica

                TELÚRICA                     

Mochilas, bolsas e acessórios.

Dúvidas e informações? Nos escreva para: sertelurica@gmail.com